domingo, 28 de março de 2010

Peço desculpas se te magoei

Ficaste tão distante de repente
Algo deve ter acontecido
Palavras erradas devo ter dito
Que te magoaram,
Mas sinto tanta sua falta
Não fazes ideia do quanto.

Talvez não tenha sido tão de repente
E eu não tenha percebido
O quanto você mudou
Suas prioridades são outras agora,
E eu ao invés de te apoiar,
Só te critiquei.
Não fiz por querer, entenda,
Só estava chateada contigo
E te falei coisas sem ao menos pensar.

Desculpa-me pela minha incompreensão,
Pela falta de apoio, por ser egoísta
E pensar mais em mim do que em você.
As coisas mudam na vida, eu sei,
Mas insisto em não querer ver,
Acabando por magoar as pessoas que amo.

Carina F. da Rosa

Semana do cão (emocionalmente)

Eu estava irritada a semana inteira. E como não gosto de perder a cabeça, controlei-me até a raiva passar. Estava difícil, mas consegui. Penso que não magoei ninguém. Consegui ser forte e consegui não ser grosseira. É que quando estou de mal-humor, eu acabo respondendo de forma grosseira, não que eu queira, mas é que eu estou com raiva e acaba transparecendo na minha voz. Assim, parece que eu fui grosseira.
Hoje, era pra mim e minhas amigas irmos no cinema juntas ver o filme "Lembranças" com o ator Robert Pattinson. Mas quando eu ainda estava na fila pra comprar o ingresso, a sessão se esgotou. Eu fui a unica que ficou sem ingresso. As três entraram. Fiquei bem chateada. Principalmente porque tentei entrar em contato várias vezes com elas pra ver se estava tudo certo, mas não consegui, só em cima da hora é que consegui falar com uma delas. Daí, já era tarde demais como puderam perceber.
Tentei não ficar triste. Tentei não ficar chateada com as minhas amigas, porque, o que elas tinham feito? Nada. Mas a gente sempre fica chateada, não adianta. Por mais que queremos, não conseguimos.
Bom, saí do shopping e ia indo pra casa da minha avó. Eu sabia que não estava em casa, mas eu tenho as chaves e assim eu poderia ligar pra os meus pais poderem me buscar, porque estou sem crédito no celular (pra variar!). Mas em frente ao prédio onde meus avós moram, surgiu-me uma idéia. Ir para o outro shopping assistir um outro filme. E lá fui eu. Ainda bem que tudo fica pertinho um do outro e pude fazer tudo isso a pé.
No fim das contas, consegui assistir ao filme "O fada do dente". Que me fez dar algumas boas risadas.
Claro que, minha vontade de chorar não passou. Mas não quero ser uma pessoa fraca que chora por qualquer coisa que aconteça, com qualquer pedra que encontre pelo caminho. Porque sei que ainda encontrarei muitas pedras pelo caminho. E muitos amigos ainda vão me magoar. Esta não foi a primeira e nem vai ser a última. Mas, como eu já disse: "o que elas tinham feito? Nada". Eu é que sou sempre a dramática. É, eu devo ser mesmo, mas é por isso que quero mudar. E por isso estou trabalhando comigo mesma um jeito de ser feliz, sem me importar com o que os outros pensam, sem me importar com que os outros façam ou falam. Importando-me comigo mesma, com meu crescimento espiritual, pessoal e profissional, sem esquecer de que sou humana e que também devo ajudar ao próximo.
Sempre temos duas escolhas, sentar e nos lamentar por ter dado errado ou levantar a cabeça e seguir em frente. Eu fiz isso hoje. E você?

quinta-feira, 18 de março de 2010

Literalmente ano novo, vida nova 2

Antes de relatar mais algumas mudanças significativas pra mim que aconteceram (que foram poucas, mas enfim), farei um comentário sobre a terceira mudança deste ano, a qual havia escrito na postagem anterior:
"Terceira grande mudança: meu quarto transformado em um ambiente clean. Estarei me livrando em breve dos muitos cacarecos, bagulhos, entulhos, bugigangas que eu tenho". Ainda não me livrei de todos os cacarecos. Tenho medo de começar a arrumar as coisas ou melhor tentar arrumar e não conseguir terminar, não sabendo onde colocar algumas coisas, se eu jogo fora no lixo, guardo ou o que. Fora que eu não consigo deixar meu quarto arrumado. Se eu tenho muitas atividades a desculpa é que eu não tenho tempo, se eu não tenho nada pra fazer o tempo passa muito rápido. Talvez quando finalmente meu quarto ficar arrumado e organizado, é porque finalmente consegui tudo o que eu queria nesta vida.
Quarta grande mudança: finalmente tomei vergonha na cara e publiquei um livro de poesias meu, num site. Não é lá grandes coisas, porque no site dá para publicar qualquer tipo de livro sem restrições nem nada, sem revisão também, nem uma prévia seleção. Mas já é um começo!
Quinta grande mudança: Estou escrevendo um livro de crônicas em conjunto com amigas minhas da faculdade, apesar de não ser sobre a área que estamos estudando, mas é bem interessante. Eu comecei a fazer a minha parte, só espero que as meninas não dêem pra trás.
Assim eu vou, em pouquinho em pouquinho, mudando minha vida para melhor, é claro! Sempre buscamos melhorar nossa vida, não precisa ser em questões sócio-econômicas, basta melhorar pessoalmente, espiritualmente, essas coisas. No final, é isso que verdadeiramente importa.