terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Fim do ano de 2009

Neste ano me aconteceram coisas maravilhosas que só tenho a agradecer a Deus. Porque aprendi a me desapegar aos amigos e a não esperar muita coisa deles. Para quem não sabe (o que é todos, porque nunca disse isso a alguém, só ao meu diário), vivia esperando que meus amigos fizessem coisas para mim como dar um ombro amigo do tipo vir até aqui em casa para enxugar minhas lágrimas, ou escrever uma carta com o próprio punho só para eu ter a alegria de receber uma carta que não seja contas a pagar (apesar de não receber muitas coisas, porque ainda sou dependente dos meus pais), ou uma festa surpresa de aniversário. Coisas desse tipo. Queria sempre que eles me notassem. Que perguntassem: "por que estás triste?". Queria poder me abrir com eles e contar-lhes meus segredos mais íntimos (ou talvez não tão íntimos). Quero ser eu mesma na presença deles e penso que no ano que está nascendo 2010, vai ser o ano que as pessoas me verão diferente. Assim seja!
Como aprendi a não esperar muito dos meus amigos, estou recebendo de alguns deles um carinho especial que nunca havia recebido antes e estou maravilhada. Isso mexe muito conosco por dentro. Dá um novo animo. Um novo sentido a vida. Fora que aprendi a ser mais humilde, estava precisando disso. E também, a não julgar as pessoas pela aparência e nem pelas condições financeiras.
Também aprendi a dar mais valor a minha família. Puxa! Eles sempre estiveram ao meu lado, sempre me deram tudo que eu precisava e queria. Até festa surpresa de aniversário eles fizeram à mim. Eles são especiais, apesar das constantes brigas. Mas toda família tem suas desavenças, porque uma família é constituída por indivíduos com personalidades e pensamentos/opiniões diferentes. Até podem se parecer fisicamente ou não, mas na mente são diferentes. E é aí que ocorrem as divergências, que nem sempre as pessoas sabem conviver.
Bom, este ano foi maravilhoso pra mim! Cresci, aprendi, desenvolvi-me melhor psicologicamente falando. Agora, estou mais forte que nunca. E vou superar barreiras e vencer desafios daqui pra frente tudo vai ser diferente!
Amém!
Então, só me resta desejar um natal maravilhoso e muito especial para todos e que o ano novo venha repleto de novas conquistas e realizações!!
FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!!
E que venha 2010!!!

sábado, 19 de dezembro de 2009

Homens X Mulheres

Estamos vivendo tempos difíceis para o amor. Os homens não entendem as mulheres, mas também não perguntam. E as mulheres não entendem os homens, e morrem de medo de perguntar, pois eles podem pensar que estamos "discutindo a relação".
E ficamos nesse enrola-rola, que não desenrola. Por mais que queremos uma pessoa, não fazemos nada. Ficamos apenas a assistir. Eu como mulher, sempre espero que o homem tome a iniciativa. Mas e se ele não tomar por ser inseguro? Vou ficar pra titia? Mas e se eu tomar a iniciativa? Ele vai pensar que sou fácil, que sou atirada, assanhada, desavergonha. Padrões tiranicos de uma sociedade puritana.
Um dia numa balada, um ex-ficante (agora) de uma amiga, disse para ela: "a gente nunca dá pra quem a gente quer". O que acontece com esses homens? Parece que estão cada vez mais inseguros com relação a nós, mas porque isso acontece? Muitos podem culpa a independencia da mulher, mas não tenho certeza que esta seja realmente o problema. Penso que o homem não sabe a muito tempo como cortejar uma mulher. Tudo bem que com o passar do tempo tenhamos ficado um pouco mais exigentes, mas como os anos mudam, as mulheres se adaptam aos novos tempos e a pós-modernidade. A evolução. Mas e os homens? Estão preparados para os novos tempos? Alguns poucos estão, mas a maioria não. E esses poucos ou são gays ou são comprometidos (seja namorando ou casado).
Então, volto a frisar, está cada vez mais difícil criar uma relação a dois nos tempos de hoje, sendo a insegurança, a falta de diálogo, a qual ocorre há milhares de anos. Homens e mulheres parecem que nunca se acertam, é por isso que não se entendem. Um parece ter medo do outro.

Não é exigência, é amor próprio

Estava conversando com uma amiga muito querida hoje, que me fez refletir. Por isso que adoro conversar com os amigos, eles sempre tem algo a dizer de experiências próprias que são magníficas e sempre podemos aprender com isso.
Apaixonar-se e namorar, assim como casar é uma coisa séria. Não se deve levar na brincadeira, pois podes se machucar. É bom sempre ir com calma e ter certeza das coisas, porque depois ela nunca volta a ser o que era. Não adianta querer ser apenas amigos, depois de uma história de amor, ainda mais quando você vê a pessoa que você "amava" com outra, exatamente como era com você. Nunca mais vai ser a mesma coisa.
Devemos pensar muito bem em nossas escolhas. Dúvidas? Sempre existiram. Mas não dá pra viver na dúvida, de como seria ou como não seria.
Uma outra amiga me perguntou em final de novembro o que eu esperava de um relacionamento e o que isso significa pra mim. Na época não soube responder, porque estava desesperada para encontrar alguém, mas apenas para saciar um desejo alheio. Cumprir um padrão da sociedade de namorar, casar, constituir uma nova família. E pensei que isso não era um bom motivo para começar a namorar. Apenas porque os outros assim esperam que eu faça, não é um bom motivo para qualquer questão de nossa vida. Ainda mais num assunto tão delicado, quanto um relacionamento a dois.
Então, depois de pensar muito. Estou muito bem como estou. Solteira. Até que um dia meu coração bata mais rápido, minhas mãos comecem a suar e meu corpo sentir aquele arrepio. Quando finalmente souber, é esse a qual entregarei meu coração. É esse o merecedor de meu amor, porque merecerei seu amor também. Porque juntos descobriremos o mundo, o universo escondido. Descobriremos, aprenderemos, cresceremos juntos como iguais e diferentes que somos.
Apenas não quero me precipitar numa decisão importante que pode me levar por caminhos certos e seguros, mas que não me trazem felicidade e onde não há nada de novo. Enquanto posso optar por aqueles que eu mesma queira traçar, que seja inseguro e incerto, mas cheio de alegrias e aprendizado.
Dizem que algumas mulheres ou todas, são muito exigentes. Mas não somos. Queremos apenas um homem que seja confiável, íntegro, culto, inteligente, que respeite as mulheres. Ou seja, não somos exigentes, apenas temos amor próprio.