sábado, 27 de junho de 2009

Medo de mudanças

Estava lendo o livro "Quem mexeu no meu queijo?" de Spencer Johnson que acabei de adquirir. No livro fala sobre quatro tipos de pessoas e como elas reagem a mudança. Cada uma reage de uma forma diferente. E conhecendo a história, acabamos rindo de nós mesmos, porque percebemos que "eu não era Sniff, eu não farejava a situação e nem percebia a mudança cedo. E eu certamente não era Scurry, pois não agia imediatamente. Eu era mais como Hem, que queria ficar em território conhecido. A verdade é que eu não quis lidar com as mudanças", mesmo enxergando que elas eram necessárias. Daí, nos damos conta do quão bobos somos. Agimos de forma a complicar as coisas, mas, na verdade, as coisas são muito simples.
Agora, só tenho que deixar meus medos de lado e praticar o que o livro ensina. Apreender o ensinamento e não apenas aprender.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Liberdade, loucura, vida

"Tem um não sei o quê em mim que se vê inteira dentro da letra, eu começo uma espécie de 'vivenciar' aquele sentimento, e quando vejo, não sou mais eu, ou sou eu mesma com todas aquelas dissonâncias." (Capítulo 2, por Clotilde Zingali: IARA E AS DÚVIDAS, sempre elas.)
Engraçado! Sou assim a maior parte do tempo. Perco minha identidade assim que vejo um filme, escuto uma música, presencio uma peça de teatro, ou quando estou com outras pessoas. Quando estou sozinha, sou eu mesmo. Penso que é a única hora que posso ter essa liberdade de ser eu mesma. De pensar, agir, falar, sonhar como quero, como gosto de ser sem que os OUTROS venham com suas opiniões sujas ao meu respeito.
Gosto de ser livre! Gosto da sensação de estar livre. É como se eu pudesse sair voando a qualquer momento, a qualquer hora. É uma sensação maravilhosa! É como se eu me conhecesse e ao mesmo tempo, não soubesse quem sou. Sei que não é lógico o que estou escrevendo e se é sensato escrevê-lo, não posso dizer. Talvez esteja ficando louca. Mas a vida é louca. E o que seria a loucura?
Para as pessoas loucura é sinonimo de ideias, criatividade, felicidade... Só uma pessoa louca pode ser feliz num momento como este. Só uma pessoa louca para ter uma ideia dessas. Só uma pessoa louca para criar o que criaste. Neste contexto, posso ser considerada louca. Uma pessoa inteiramente louca, vividamente louca.
Mas será que louco não é aquele que mata sem dó nem piedade, rouba sem ser por necessidade de se alimentar, estupra como se fosse um ato prazeroso, polui a natureza como se ela não fosse importante. É loucura matar a si próprio e aos outros pouco a pouco, lentamente num processo de anos, até que todos tenham perecido por falta de água, ar e comida.
Loucos são aqueles que não querem ver. Loucos são aqueles que gostam da miséria e da pobreza que habita em suas mentes vazias. Loucos são aqueles que tem medo e usam da força para se defenderem, sendo que o medo termina quando se conhece mais sobre aquilo que lhe causa o medo. Loucos são aqueles que não dão a mínima para os outros e o meio ambiente. Loucos são aqueles mal-educados, que não querem nada com nada, que ficam atormentando a vida das outras pessoas, tentando meter medo como se isso emposse respeito. Loucos mesmo são aqueles que pensam que os outros são loucos, mas não olha para seu umbigo.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Feriadão? Que nada!

"Que bom! Feriado! Poderei descansar!"
Doce ilusão! Trabalharei em dobro. Muitos trabalhos da faculdade, muitos eventos em minha cidade, muitos amigos para curtir, muitas festas para ir, muitos agitos para viver. E o feriadão se foi. Ter muita atividade junta num único feriado é deixa a gente mais cansado. Apesar de que o feriado ainda nem começou. E nem vai começar para mim, como vocês podem ver. Por que será que quando pensamos em descansar, vem nosso lado social e programa mil e uma coisas para se fazer? Penso que é uma forte vontade de me deixar louca e estressada e ainda mais cansada do que já estou.
Tenho que parar com isso. Tenho que economizar, porque este mês já gastei demais. Gastei mais do que eu tinha. Quero dizer, não cheguei a tanto, ainda tenho uma boa graninha. Mas se eu continuar a gastar desse jeito, não terei dinheiro para colocar na poupança que está um pouco desfalcada.