quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Trabalho em equipe, e agora?

Ontem na aula de Materiais Expressivos, tivemos que trabalhar com jornal para confeccionar uma roupa diferente, algo novo e inovador. Até aí tudo bem, não tem problema, quero dizer, o problema era como trabalhar com o jornal. Mas tínhamos que vencer o desafio.
Eu estava pensando numa forma de criar um vestido (que foi nossa idéia, da minha equipe e mim) sem aparecer muito remendo com fita adesiva. Mas minha equipe não estava nem aí para a estética. Estava mais preocupada em terminar rápido, fazer rápido e de qualquer jeito. Não sei se eu sou muito psi e perfeccionista ou sei lá o quê. Mas eu estava certa, tanto é que o professor disse bem na nossa cara que estava muito remendado.
Como não queria arranjar problemas e tudo mais fiquei quieta na minha, senão sobraria pra mim, porque sei como é complicado trabalhar em grupo e com pessoas. Pois cada um tem sua opinião diferente, cada um tem seu ponto de vista, ou seja, cada um é cada um. Somos diferentes, pensamos de formas diferentes, senão não existiria a lâmpada, não existiria o computador, não existiria uma porção de coisas se não fossemos diferentes no geral. Na forma de se vestir, no comportamento, no pensamento, entre outros.
Imagina só se todos pensássemos iguais. Aí, quando querias ir pra praia todos no mundo inteiro pensaria em ir na mesma praia. Fraaaaco! Não iria sobrar espaço, nem teria tanto pra tanta gente. Faltaria espaço.
Então, é muito bom a diversidade, até mesmo de pensamentos. Mas devesse saber trabalhar em grupo. Respeitando as opiniões e sugestões dos outros. E parar de sermos egoístas, porque trabalhar em grupo não é trabalhar sozinho, nem de longe é a mesma coisa. Eu sei como é difícil ceder as suas idéias. Mas trabalhar em grupo é isso mesmo. Tem a hora de utilizar as suas idéias e a hora de utilizar a dos outros. E se houver divergência, deve-se entrar num consenso geral. É ou não é justo, isso eu não sei. Mas é melhor agradar a maioria do que um só ou ninguém, não é mesmo?

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Nasci na época errada, será?

Estava dando umas olhadas nas comunidades em que estou participando. Como faço parte de muitas, normalmente desisto de participar de algumas. Foi quando vi uma comunidade em que estava participando, “Nasci na época errada”. E fiquei pensando: “será que realmente nasci na época errada?”. Comecei a ler a descrição da comunidade: “É preciso falar pouco, porque é tudo muito óbvio. Quem é que nunca abriu a janela e desejou não ver mais nada daquilo? Quem é que nunca se inconformou com a metódica vida moderna, resultante de mais erros que acertos? Quem é que nunca se viu frustrado ao ouvir histórias e não participar delas? Quem é que entende o ridículo da nossa geração? Os braços cruzados, a falta de ação, a falta da busca por alma, a troca de tudo por papel? E o mais importante, quem é que vê futuro para essa ‘evolução’ desenfreada e devastadora? Esta comunidade é para quem tem grandeza demais para o vazio dos novos dias. Eu não acredito em remédio para as mentes; mas acredito que os poucos que restam podem fazer espetáculos nesse teatro caindo aos pedaços.”
De certa forma concluí que não nasci na época errada, são apenas as circunstâncias que rondam essa época é que não me agradam nem um pouco. Aliás, não deveriam agradar a ninguém. Talvez nem agrade, realmente. Mas e o que fazemos pra mudar isso? Podemos realmente mudar o curso da história?
Bom, se ninguém tentar nunca saberemos.
Como já dizia William Shakespeare: “Nossas dúvidas são traiçoeiras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar”.
Talvez seja por isso mesmo que nascemos nessa época, para mudarmos alguma coisa. Transformar o modo como venhamos vivendo desde muito tempo atrás. Pois não pense que corrupção, ganância e fome/sede por poder é coisa recente. E também não é só no Brasil que isso acontece, é em todos os países. Só que no Brasil isso passa na televisão, nos outros países, não. Se isso é melhor ou pior, eu não sei, só sei que não adianta criticar o seu quintal sem olhar pra do vizinho, mas também não adianta criticar a o vizinho sem olhar pro seu próprio.
Que filosofia barata esta a minha, que não leva a lugar algum, mas continua na mesma, sem eira nem beira.
Beijos, até a próxima!! ^^

Peixe fora d'água?

Agora as coisas estão começando a entrarem nos eixos pra depois serem bagunçadas novamente. Claro! Como sempre acontece... Não estou reclamando! Quem em sã consciência iria querer ter uma vida toda certinha e tranquila? Penso que seria um pouco monótono demais, não é mesmo?
Bom, é isso aew!
Já escrevi tanto sobre essa semana para as minhas amigas que nem me lembro mais o que rolou de bom pra contar ou de ruim. Engraçado, não? Estou ficando meio esclerosada!
Ah, deixe-me contar como foi meu começo no curso de Design de Moda na Univille. No primeiro dia de aula não teve muita coisa, só uma palestra contando como funciona a instituição e tals. No segundo dia começou as apresentações. Seu nome, se é da cidade, senão dá onde veio, o que gosta, o que não gosta e por que escolheu o curso de design de moda. Essas coisas!
Cada um foi se apresentando. A cada pessoa que passava ia me sentindo cada vez mais fora da casinha, como um peixe fora d'água, porque a maioria tem pais que trabalham no ramo, cresceu no meio de corte e custura e moda, ou tem uma paixão avassaladora, ou fez um curso de moda que o interessou e tals. E eu? O que tinha feito? Por que estava ali? Boa pergunta! Eu gostava, é claro! Mas não fazia roupinhas pras minhas barbeis nem nada parecido. Não cresci vendo meus pais trabalhando no ramo (minha mãe é terapeuta ocupacional e meu pai... bom, ele é de tudo um pouco).
Fiquei me sentindo bem perdida. Daí, eu comecei a pensar e a viajar na minha imaginação em busca de uma resposta plausível do por que eu estar ali, tanto que não estava nem mais escutando o que os outros estavam falando.
Comecei a viajar pelos assuntos que mais gosto. Passando de escrever para atuar, interpretar, sonhar, imaginar, criar... E vi que não estava totalmente fora de rumo. Talvez esteja até mesmo no rumo certo. Já imaginastes eu fazendo os figurinos da Globo?
Eu já pensei nisso!
Cinema é uma das minhas muitas paixões. E não só por atuar. Tem muito mais coisa por trás das câmeras do que nossa vã filosofia. As pessoas podem achar que é fácil produzir um filme. Mas estão redondamente enganados. Tem muitas pessoas, MUITAS MESMO, por trás. Isso a gente pode ver claramente nos DVD's extras, quando se compra DVD duplo. O segundo DVD é só making of (making of é um jargão para um documentário de bastidores que registra em imagem e som o processo de produção, realização e repercussão de um filme, novela, seriado ou produto audiovisual), daí você descobre o mundo do cinema, que é o maior barato! Quero dizer, barato não é, mas é bem divertido! Pelo menos pra quem gosta.
Ou seja, não sou assim nenhum peixinho fora d'água como eu supunha.
Beijos e até a próxima!!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Essa Semana

Essa semana está sendo fogo... Pressão psicológica de todos os lados... Pressão na universidade (por eu ser caloura), pressão em casa (por eu não estar conseguindo arrumar um emprego), pressão de mim mesma (me cobrando para terminar de escrever de uma vez por todas o romance) e fora as pressões sentimentais (que não vou entrar em detalhes).
Aconteceram tantas coisas essa semana. Coisas alegres como eu ter escrito vários capítulos das Aventuras de Godinha&Magricelinha e continuar (mesmo que devagar quase parando) a escrever no meu romance. Além das coisas tristes, a qual não quero falar.
Já comecei essa semana com o pé esquerdo por um lado, e com pé direito por outros.
Terça-feira (dia 19/02), à noite, dormi muito mal pensando nas muitas coisas que me aconteceram durante este dia. Mas ontem faltei a aula, por causa do aniversário da minha vó e acabei esquecendo tudo e dormi SUPER BEM!!! O que achei maravilhoso! Claro, sempre é bom e gostoso dormir bem à noite.
Bom, vamos ver o que acontece hoje. Espero sobreviver a prova de fogo (de ser caloura).
Penso que é só isso que tenho a relatar por hoje.
Beijos e até qualquer dia.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Inicio das Aulas

Ontem voltei pra Joinville de Florianópolis. Na inda foram mais ou menos duas horas de viagem. Mas na volta... Foram duas horas a mais! Quatro horas dentro do carro, num transito enfernal, por causa da ponte do rio Itajaí que está em obras.
Hoje começam minhas aulas. Ai, ai, ai, ai, ai! Que nervoso! Nem sei como eu vou pra Universidade. Penso que terei que ir de ônibus. ¬¬ Mas tudo bem, na primeira semana não tem muita coisa para se levar, então não tem problema. ^^
Vamos ver o que me aguarda esse ano.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Passado, Presente e Futuro

Volto hoje pra Joinville. Volto pra vida real. E amanhã iniciam-se as aulas. Estou bem nervosa! Primeiro dia, ou melhor, primeira noite numa escola nova, curso novo, matérias novas, turma nova, colegas novos, amigos novos. É uma novidade! Mas como ouvi certa vez num filme: "Amigos só são novos por um dia, depois são só pessoas". Então, não importa o quão novo seja, amanhã já não será mais. Que filosofia barata!
Ai, ai! Nem estava com saudades de estudar... Ai, que mentira! Por mais que não queremos estudar, sempre sentimos falta. Falta dos professores, dos colegas, dos amigos, das aulas, das piadas, das risadas... Sentimos falta das coisas passadas, mas desde que elas fiquem no passado, pois ficar remoendo, não é saudável!
Meeeeeeeeu! Já vão se iniciarem as aulas na Universidade e as fotos de formatura ainda nem chegaram. Mas também, arrumar CD de fotos pra 480 alunos, não deve ser uma tarefa muito fácil e ficar catando um por um em cada foto que fora tirada na formatura? Ai, é pra matar!

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Essa semana foi fogo

Estou em Floripa nesse final de semana, pensando na vida. Claro que não foi por isso que vim pra cá, foi por causa da formatura da minha prima Tatiana de está se formando em arquitetura e urbanismo. Mas viajar sempre é bom pra colocar os pensamentos em ordem, além dos sentimentos também. Essa semana foi uma completa maluquice, nunca aconteceu tanta coisa ao mesmo tempo. Coisa que me deixaram feliz, outras que me deixaram triste e outras ainda que me deixaram cabreira... E MUITO cabreira!
Mas, nem sempre de pão vive o homem, não é mesmo? Também precisamos sentir sentimentos não muito agradáveis para aprendermos com eles, assim como aprendemos com os nossos erros ou com os erros dos outros.
Sei que não faz muito sentido tudo que estou escrevendo, mas pra mim faz. Pra alguns amigos também pode fazer, pelo menos aqueles que conto tudo, o que não é muito difícil. Parece que quando abro a boca começo a tagarelar sem parar. Conto tudo. Até os sentimentos mais secretos que deveriam ficar comigo guardados a sete chaves.
Fazer o quê? Acho que esse é o meu jeito. Talvez me diciplinando, eu paro de tagarelar.
Beijos.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Privacidade

Adorei ler no blog do orkut esta frase: "Um homem sábio disse uma vez: 'A privacidade é a condição de ficar sozinho, fora da vista do público e no controle das informações que as outras pessoas têm sobre você'".
Como tinha dito antes, naquela fez em que escrevi coisas que pareceram meio sem necso, mas que pra mim faziam todo o sentido. Bom, era mais ou menos assim (estou me referindo a frase de cima) que eu quis dizer. PRIVACIDADE! As pessoas devem saber quando é hora de parar, o quanto é necessário que alguém saiba de um segredo.
Achei ótimo o orkut ter começado a criar sistema de controle de privacidade para fotos, recados, vídeos, etc. Porque assim nos sentimos mais seguros de utilizá-lo, sem que nossa foto seja indevidamente copiada, transformada e publicada difamando nossa imagem, o que, claro, pode levar a um tremendo processo.

Obaaaaaa...

A papelada do estágio está toda devidamente preenchida e pronta para ser entregue para o colégio. Agora estou procurando emprego, mas está difícil. Muitos dizem que tenho um ótimo currículo, mas sempre que olham que sou menor de dezoito anos... Aí, a coisa complica!
Pena que só faço dezoito anos no final do ano... Isso prejudica um pouco, pelo menos no início de carreira. Mas, tudo bem, ainda estou confiante de que conseguirei alguma coisa.
Enquanto isso, vou me animar pra continuar a escrever minhas histórias. E quem sabe não consigo publicar meu livro no meio do ano?
A história já foi bem bolada, só preciso encaixar uma parte na outra e arrumar alguns detalhes e PRONTO! Parece fácil, né? Mas, definitivamente, não é! É bem complicadinho e difícil, fora que o humor e a empolgação vem e vão quando querem.
Não sei como fazer pra ficar instável o meu humor. É uma coisa estranha, não é mesmo? O humor. Depende muito do ambiente e das pessoas a nossa volta.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Dia Corrido

Gente do céu!!! Vou postar rapidinho que estou cheia de coisas pra fazer e alguns pepinos pra arrumar...
Minha Nossa! Nem acredito no que está acontecendo na minha vida. É de deixar qualquer um maluco. Mas tudo bem. Vou dar um jeito de resolver tudo até domingo.
Desculpem não poder entrar em mais detalhes, mas, às vezes, é melhor contar só parte da história e não ela inteira, porque nunca sabemos quando nosso inimigo (se é que se tem um), pode usar nosso passado pra alguma maldade.
Que nóia a minha, mas "é melhor prevenir do que remediar".

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Um dia triste como hoje

Esse negócio de ter que colocar um título é pura viagem... E se o meu blog for um diário? O que escrevo como título? ¬¬
Bom, não liguem, não... Estou meio... Triste hoje... Ou talvez irritada... Nem sei como estou... Mas estou entre triste e irritada, principalmente com algumas coisas que me aconteceram no decorrer desse dia, ou melhor, dessa semana.
É triste acordar feliz da vida, achando que o dia está perfeito e de repente... Tudo desmorona! O que parece um dia feliz e animado, vira mais uma conspiração para que tudo de errado. Espero que Deus saiba o que está fazendo.
O negócio é o seguinte, eu queria mudar pra de manhã, porque eu estou matriculada no curso de Design de Moda noturno e queria passar pra matutino, mas não deu certo, quero dizer, não fechou turma. E isso não tem problema estudar à noite, mas é que eu queria fazer uma matéria do curso tecnológico de Produção Audiovisual, que também é noturno. E a matéria ia me ajudar um monte, quero dizer, iria me aperfeiçoar na escrita, porque queria fazer língua portuguesa voltada pra roteiro. ¬¬
Bom, agora vou ter que me conformar, eu acho. Só porque alguma coisa não deu certo não quer dizer que o resto não dê certo também, não é verdade?
Tem mais uma coisa me chateando... E dessa vez é uma amiga, o que acaba por me machucar e muito, porque é uma amiga muito, mas muito querida. A gente troca cartinhas, ou pelo menos eu envio cartinhas pra ela. Mas até agora, nada dela responder, o que é meio frustrante. Ainda tenho esperaça de que ela me esponda, porque a esperança é a última que morre. ^^
É isso aí! Minha vida aqui como num livro aberto!
Bjus

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Início

Pelo visto terei que começar tudo novamente, porque o Weblogger pifou de vez. Pelo menos não estou conseguindo acessar o site e nem postar algumas coisas. Quando eu mais preciso, ele me abandona. Que horrível!
Bom, vamos lá então começar um novo. Vou salvar tudo o que já escrevi lá naquele outro em documento de word pra não perder pra sempre. Sei lá, guardar pras futuras gerações? De repente, uma de minhas decendentes possa querer fazer um trabalho sobre mim ou apenas precise fazer um trabalho sobre alguém da família e talvez me escolha como cobaia. Então sempre é bom ter guardado alguma coisa. Lembranças, recordações, memórias, pensamentos seus e também devaneios, o que é muito importante! ^^
Bom, por enquanto é isso! Vou ficar por aqui mesmo.
Beijos, CaH_=]